Pelas mulheres de Afrin

 
 As mulheres de Afrim. Créditos

As mulheres de Afrim. Créditos

 

O Curdistão Sírio, em curdo Rojavayê Kurdistanêou Rojava  é uma região situada a norte da Síria, organizada em três cantões autogovernados: AfrînJazira e Kobanî.

Afrin é para todos uma lição uma revolução conseguida e um modo de vida inquietante, o seu nome significa nem mais nem menos “Revolução das Mulheres” e foi aí nesse local onde nasceu uma comunidade com mais de 500.000 pessoas de diferentes etnias. Ao longo de seis anos estas Mulheres resistiram aos ataques do Estado Islâmico e da Turquia, ao mesmo tempo construíram uma comunidade baseada nos valores de perseverança, vontade de viver num mundo melhor, democrático, onde todos têm direitos e todos lutam por alcança-los. 

Ao longo de todo este tempo, de luta e revolução, as intuições internacionais mantiveram-se em silêncio sobre os crimes de guerra e os abusos de direito internacional. 

Estas guerreiras pedem a todas as mulheres do mundo que se juntem à sua luta pela defesa de Afrin, para defender uma revolução das mulheres. Há muitas formas de ajudar, basta partilhar as notícias que são constantemente abafadas, basta fazer donativos ou até mesmo combater ao lado de todas as mulheres de Afrin. Todos os dias , várias mulheres de todo o mundo vão até Afrinfazer parte deste movimento e integrar a luta pelos direitos humanos de democracia!

Desde 20 de janeiro, Afrin tem lutado contra a invasão do exército turco que destruiu cidades, casas, património histórico e cultural, com o único objetivo de extinguir a autogestão democrática autónoma de Rojava e ocupar o território do norte da Síria, mantendo viva a ditadura de Erdogan.

A 2 de Julho no Porto, no edifício Gazua a Anja Flach, ativista e membro do Comité de Mulheres Curdas de Rojbin, esteve presente para falar, mostrar e deixar a mensagem de como é importante fazer algo por este movimento de luta de direitos humanos e internacionais. Como referiu, estas guerreiras não estão à espera de burocracias, elas fazem, elas lutam e elas conseguiram construir uma comunidade em autogestão e poderão fazer muito mais se tiverem direito a viver sem guerras e sem ataques, só assim poderão viver com dignidade. Para mais informações podem assistir ao seu canal de televisão em sinal aberto na Internet, para compreender melhor esta luta que faz parte de todas nós.

Vamos fortalecer as redes de solidariedade internacional com objetivo de impedir as guerras fascistas e espalhar a revolução feminina de Afrin e do norte da Síria para todas as regiões do mundo.

Viva a resistência de Afrin!

Viva a solidariedade internacional das mulheres!


Catarina.png

Catarina Cepêda, Mestre em Contabilidade e Finanças, fotógrafa e autora do Blog Identifica (te) conjuga toda essa panóplia de atividades com uma crescente vontade e motivação de ser mais, crescer mais e aprender mais. Um mais todos os dias. Sigam a Catarina no seu BlogFacebook, Instagram do seu blog, o seu Instagram de fotografia, e o seu site de fotografia.