Diário de uma espécie de Mãe #12

 
 

N.S.F.A.Q. (not so frequently asked questions)

A semana passada trouxe-vos as perguntas que toda a gente faz. Esta semana venho trazer-vos as perguntas que deviam fazer, ou vá, as perguntas que eu queria ver esclarecidas muitas vezes, mas que não se pergunta muito. 

Foi fácil engravidar?

Não foi tão fácil como gostaríamos. Aquilo que achámos que ia demorar um mês ou dois (sim altas expectativas) demorou quase um ano, e por muito que digam que é normal, quando estás a tentar, pensas sempre que pode haver algum problema. E sim, vais ficar paranoica, vais ficar triste e frustrada e vais odiar que te digam que quando descontraíres é que vai ser… mas vai ser verdade. Se há coisa na vida que não conseguimos controlar é isto. Mesmo que tenhas um bom calendário e uses todos os truques para engravidar, só acontece quando tem que acontecer e tu tens que comer e calar.

O que muda na vida a dois?

Na minha não mudou muito, se bem que nos primeiros meses em que estava constantemente enjoada e cansada ele teve que chegar-se à frente em tudo. Como tenho o maior homem do mundo ao meu lado, é fácil. O que não significa que as vezes não me passe da cabeça quando ele goza com o facto de o meu cérebro estar a diminuir, ou quando não adivinha o que me vai na alma. Eu culpo as hormonas! Eles começam a olhar de forma diferente para nós o que chateia um bocadinho. É um olhar embevecido que às vezes só queríamos que se transformasse naqueles olhares de “é aqui e agora” (vocês sabem o que quero dizer). Passamos a ter um estatuto de “ohhh que fofinha, que barriga linda, está tão bonita” e ninguém quer ser olhada assim por quem nos dá o bem bom. Falando em bem bom…

E sexo?

Até agora ainda não estive a “subir paredes”. Dizem que as hormonas a certa altura te põem doida, mas até agora ainda não estou nesse ponto. No entanto, ainda nunca me faltou vontade. É bom! Pode ser estranho se começamos a pensar no bebé, mas tirem-no logo da cabeça, porque ele não sente nada e não faz ideia do que está a acontecer. E só faz bem! A tudo! Aos músculos, à cabeça, à autoestima enfim… façam! Muito, e bom! Se não se sentirem muito apetecíveis devido ao vosso tamanho, sei lá, usem acessórios ou vendas, deem largas à imaginação. É provável que tenham que experimentar posições novas, tudo lá em baixo está a ficar diferente e o que resultava antes agora pode doer ou não fazer nada por ti. É provável que tenham que demorar mais tempo nos preliminares porque a coisa custa mais a arrancar para o vosso lado, mas é tudo normal, o vosso corpo é novo e é só uma questão de adaptação. 

Quando é que podes/deves começar a comprar roupa de gravida e o quê?

As minhas calças e soutiens deixaram quase logo de me servir. Chateou-me um bocado porque até chegares aos três meses não queres gastar muito dinheiro e tens sempre mais medo, e para além disso, vês todas as pessoas a tua volta magras até terem três meses. No meu caso, mamas aconteceram e fiquei só com dois pares de calças utilizáveis e nem um soutien. Por isso a resposta é: compra quando precisares e o que precisares. Compra um bom soutien, os primeiros que comprei já eram de gravida, mas não tinham almofadinha e as minhas mamas pareciam as de uma avó. Comprem algo que (nunca vai ser sexy) mas que vos faça pelo menos sentir bem estética e fisicamente. 

O que é que custa mais?

A mim? Deixar de beber uns copos, deixar de fumar, só beber um café, deixar de comer crus e saladas e o que for fora de casa. Chateia-me ser a pessoa que diz “ah desculpa, mas não posso comer isso”. Chateia-me não me lembrar de muitas coisas, muitas vezes, e ter que me habituar a um corpo novo. Custa, mas não tanto como achei que ia custar, o que também me custa, porque não acreditava nas pessoas que me diziam isto. Começa também a custar a dormir e custa ter que ir duas a três vezes por noite à casa de banho. Custa esperar pelas ecografias, e não saberes e não veres o teu bebé durante um mês ou mais. Custa não poder fazer esforços, eu que me achei sempre uma fortalhaça agora mal consigo abrir frascos, e ter que pedir ajuda para carregar coisas pesadas. Custa ir muitas vezes ao médico, não gosto de salas de espera e de andar de um lado para o outro nesta azáfama de consultas/análises/ecografias/idas a farmácia. Custa lembrar-me de tomar os suplementos de manhã e continuo a esquecer-me várias vezes. Custa esperar nove meses por conheceres esta mini pessoa que se anda a formar cá dentro e se bem que ainda não se materializou na tua cabeça já começas, mesmo sem quereres muito, a gostar tanto dela. 

As pessoas tratam-te de maneira diferente?

Sim! São mais simpáticas e riem-se mais para ti. No entanto…

Precisas passar à frente?

Já pareço muito grávida e nunca ninguém me fez esta questão. Para já não preciso porque me sinto bem, mas também se um dia precisar não vou esperar que me perguntem.

Precisas de alguma coisa?

Se tiveres sorte vais ter amigas que te perguntem isto. Vais precisar de muita coisa. Que te emprestem roupa, que te emprestem coisas para o puto, que te deem mimos, que te mandem uma mensagem a perguntar como estás, que te convidem para cenas fixes. Vais ser muito carente e exigir muito. 

Resumo semanal:

Tempo: 18 semanas

Sintomas: cólicas e gases e alguma azia. Pelos vistos parece que ganhei também uma infeção urinária. Nunca tive uma na vida e apareceu agora. Dizem que é normal e o bom é que por estares grávida não sentes grande coisa. 

Medicamentos: ácido fólico e iodo. Antibiótico para a infeção urinária. 


Bárbara+Alves.png

Madalena acabou de descobrir que está grávida. Madalena quer fazer um guia da sua gravidez com o mínimo de Bullshit possível. Temos quase a certeza que vai ser hilariante e de um realismo extremo.

Não percam o próximo episódio, porque nós também não.