Recém-licenciado, e agora?

 
 Photo by  Carl Heyerdahl  on  Unsplash
 

Recém-licenciado, e agora? Termina um capítulo e inicia-se uma nova etapa. Muitas vezes, a procura de um primeiro emprego é ela própria um primeiro emprego e nem sempre fácil, há muitos erros fáceis de cometer se não souber o que procurar. 

1.    Inclua toda a sua experiência de trabalhono currículo: Não queira incluir no currículo apenas a experiência profissional que julga relevante para a posição a que se candidata. Babysitting mostra confiança e credibilidade, um emprego num restaurante ou loja mostra que é extrovertido e humilde. Além disso, quanto mais experiência mencionar, maior é a probabilidade de ter algo em comum com o entrevistador.

2.    Perceba o que realmente quer:  não só na vida profissional mas também na vida pessoal, pode ser uma grande mais-valia ao longo da carreira e pode funcionar como um fio condutor numa entrevista. Mostre que sabe o que quer fazer e seja claro quanto a isso. Se é novo no mercado de trabalho e está à procura de um “lugar ao sol”, tem de ser capaz de responder a uma simples questão: “O que é que quero fazer?”

3.    Flexibilidade: O melhor colaborador é aquele que é flexível, que é capaz de ajustar a sua abordagem a diferentes interlocutores, adaptar o seu horário quando necessário, resolver problemas e inovar quando confrontado com obstáculos. Ter a competência flexibilidade significa estar aberto a novas ideias e apto a responder prontamente às mudanças.

4.    LinkedIn: Esta é uma fantástica rampa de lançamento para recém-licenciados, proporcionando fácil acesso a ofertas de emprego em algumas das melhores empresas do mundo. Deve manter o perfil completo e atualizado, ter uma foto com aspeto profissional e apostar num título forte e apelativo que resuma quem é e o que pretende alcançar profissionalmente. Adicione as atividades de voluntariado em que participa e os projetos em que esteve envolvido. 

5.    Proactivo: Assuma o controlo da carreira sendo proactivo e não reativo. Sempre que haja obstáculos às nossas carreiras/projetos pessoais, devemos enfrentá-los proativamente, ou seja, não apenas reagindo às circunstâncias, mas tomando a iniciativa. O candidato que possuir a proatividade como característica predominante estará sempre à frente dos demais. Independente da área em que esteja, ter ideias que possam fazer os negócios avançar, não ter medo dos problemas e desafios que estão para vir e, principalmente, poder “prevê-los”, são vantagens para qualquer empresa.

6.    Mostre que está pronto para trabalhar: Um dos principais problemas apontados pelas empresas que contratam recém-licenciados é de que perdem demasiado tempo a ensinar “como trabalhar”: chegar a horas, dresscode, preparar reuniões, cumprir prazos, colaborar, comunicar e trabalhar em equipa. Se já domina estas competências, vai começar com vantagem sobre os demais. 

7.    Confiante, mas humilde: Os recém-licenciados chegam com novas perspetivas e conhecimento. Os empregadores querem ver pessoas confiantes. No entanto, querem também ver vontade de aprender e crescer. Ao mesmo tempo que demonstra que tem as qualificações necessárias para o trabalho, mostre também que tem a humildade de colocar questões e dizer que “não sabe”.

8.    Seja curioso: Faça as perguntas difíceis. Guiado pela curiosidade, vai encontrar oportunidades onde pode criar valor. Fazer a pergunta certa pode levar a muito melhores resultados. Só as pessoas curiosas conseguem identificar certas oportunidades. Como dizia Albert Einstein, "I have no special talents. I am only passionately curious."

9.     Aprenda com os erros: Aceite os fracassos e aproveite para aprender como mudar o comportamento para melhorar resultados. Torna-se mais forte pela forma como lida com a adversidade. Os erros podem fazer de si uma pessoa melhor, porque irão forçar a reavaliar para encontrar soluções. O esforço que colocar aqui será fundamental para que desenvolva a aprendizagem e capacidade cognitiva. O desafio é entender o erro como motor para motivar a encontrar a solução. 

10. Pesquisa: Obtenha o máximo de informação possível sobre o “emprego-alvo” através de pesquisas na internet conectando a profissionais com posições semelhantes no setor. Tente descobrir quais os requisitos para esse emprego estudando job descriptions semelhantes e criando um currículo que mostre que o seu percurso, competências e conhecimentos adquiridos são adequados àquele emprego.

11. Crie mentalidades: Foi realizado um estudo de líderes C-level (CEOs, CFOs, COOs) que foram despedidos. Este estudo concluiu que a maioria foi contratada pela sua inteligência e vasta experiência, mas acabaram despedidos por falta de inteligência emocional. Trabalho em equipa, adaptabilidade, capacidade de raciocínio sob pressão e comunicação lúcida são algumas das características mais apreciadas pelos atuais empregadores.

 

Luísa Silva – Consultora Michael Page