Um mês em Marrocos - parte 3

 
 Dunas de Erg Chebbi em Merzouga

Dunas de Erg Chebbi em Merzouga

 

Prontos para a terceira e última parte sobre o que fazer durante um mês em Marrocos? Se não leram a parte 1 e a parte 2, nós esperamos por vocês antes de continuarmos a nossa viagem. Já fomos a Marrakesh e hoje vamos em direcção ao deserto.

Deserto

Da primeira vez que fui a Marrocos, saindo de Marrakesh andei também pelo deserto. Os mais de 500 km que separam Marrakesh e a aldeia berbere de Merzouga são lindissimos e surpreendentes, pelo que recomendo. Este percurso já não foi de comboio, mas de carro (aluguei).

Ir ao deserto, às dunas Erg Chebbi, foi uma das melhores experiências que tive na minha vida. Toquei djambé com tuaregues, tive uma conversa muito interessante sobre religião com um deles sob um imenso céu estrelado. Subi muito alto a uma duna para estar um pouco mais perto das estrelas, assisti ao nascer-do-sol numa duna e e ouvi o silêncio. Nunca antes tinha ouvido verdadeiramente o silêncio.

Foi memorável.

De todas as outras vezes que voltei a Marrocos estive menos tempo, tendo-me concentrado em áreas específicas. De cada uma das visitas estive sempre em Marrakesh… É a cidade que mais gosto, do mundo que conheço.

CityPack - www.wook.pt
 
8767355120_f67e63f8c0_h.jpg
 

Atlas

Numa altura em que se fala de muros, há que falar na barreira natural que separa o clima desértico do Sahara do resto da zona mais mediterrânica de Marrocos. Estamos claro a falar da cordilheira do Atlas, perfeito para quem gosta de caminhadas na natureza e, em especial, de corta-mato.

As amplas encostas avermelhadas das montanhas são salpicadas de pinheiros e cedros, e os picos das montanhas brilham com neve mesmo nos meses mais quentes. Estradas de terra e caminhos estreitos serpenteiam através da paisagem intocada e, nos vales úmidos e verdes, você passará por rebanhos de cabras, ervas selvagens e vilarejos berberes remotos. É quase poético, certo?

A 90 minutos de carro de Marraquexe, é fácil de visitar e pode ser explorarado a pé ou num veículo todo terreno. Se optarem por ir a pé, há uma variedade de caminhos disponíveis, desde caminhadas moderadas até caminhadas de vários dias para quem faz disto um desporto.

 
ysl morroco.png
 

Museu Yves Saint Laurent

Caso caminhadas não seja exactamente a vossa ideia de diversão, podem sempre optar por ficar em Marrakesh e aproveitar para visitar o novíssimo Museu Yves Saint Laurent. Como eu, Yves Saint Laurent foi mais um dos que ficaram deslumbrados por Marrocos e que decidiu fazer de Marrakesh a sua segunda residência. 

Além do próprio edifício, desenhado pelo atelier parisience Studio KO, ser uma obra de arte por si própria, o museu alberga uma extensa colecção de peças originais doadas por Pierre Bergé, companheiro de Yves Saint Laurent, ilustrações e fotografias de peças e de momentos chave da marca e do criador, bem como exposições temporárias. 

Para os fãs do criador do le smoking, este é o museu a visitar antes de voltar para casa.

O Adeus

Para os mais aventureiros, e para os que têm um estômago forte, recomendo um regresso de barco - especialmente se tiverem sido aventureiros ao ponto de vir de carro e apanhar o ferry.

É sempre difícil deixar Marrocos e as tardes a beber quantidades infindáveis de delicioso chá de menta, mas há sempre a promessa de um voo barato e um regresso em breve. 

 


 
Catarina Lourenço.png

Catarina é uma blogger de viagens a tempo inteiro, com uma curiosidade insaciável em perceber o que vê. Para ela viajar é mais do que tirar umas fotos! Segue as Aventuras de Catarina no seu Site, Facebook, Instagram, Twitter, Pinterest e YouTube.