#Cult: Roger Vivier

 

Caso estejam a pensar de onde é que conhecem este nome, provavelmente é deste episódio de Gossip Girl.

 
 O criador e as criações

O criador e as criações

No panteão dos grandes mestres sapateiros são poucos os que se distinguiram na sua arte. Salvatore Ferragamo, Manolo Blahnik e Christian Louboutin são apenas alguns dos mais conhecidos, imortalizados em séries e filmes e na cultura pop em geral. Com não menos prestígio, mas menos conhecido em Portugal, é Roger Vivier, um parisiense nascido no início do século XX e que ficou conhecido como o Fabergé do mundo dos sapatos. No seu extenso currículo, distingue-se a criação do que viria a ser o salto mais emblemático de sempre: o stiletto de 8 cm de seu nome “Aiguille” (agulha, em francês). 

Vivendo na cidade das luzes, Mr. Vivier era um frequentador assíduo do Moulin Rouge e outros cabarets de alto gabarito. Lá travou conhecimento com duas entertainers, para as quais desenhou os seus primeiros sapatos. Na sequência do sucesso dessas criações, abre a sua primeira boutique em 1937, na Rue Royale em Paris.

 
 

Roger Vivier é muitas vezes lembrado por ter calçado uma longa lista de mulheres excecionais, entre elas: Elizabeth Taylor, Brigitte Bardot e Catherine Deneuve no filme “Belle du Jour” - onde apareceu pela primeira vez a famosa fivela prateada “Belle Vivier”. Uma das suas clientes mais aclamadas foi nada mais nada menos que a própria Rainha Isabel II, que o encarregou de desenhar os sapatos da sua coroação, e fez dele o único designer que assistiu a este momento marcante na história da família real inglesa. 

Em 1998, Mr. Viver morre e só em 2001 é que se dá a “rennaissance” da maison. Hoje, a direção criativa está a cargo de Gherardo Felloni que promete respeitar a herança e a tradição da casa francesa adicionando-lhe um toque contemporâneo e fashion-forward - algo que o próprio Vivier sempre demonstrou como designer. 

Os sapatos Roger Vivier vão desde sabrinas a saltos vertiginosos, passando até por espadrilles. Todos têm uma grande variedade de acabamentos e ornamentos brilhantes que fazem as delícias de um sem número de it girls por essa internet fora. 

À frente do seu tempo, Vivier foi um artesão possuidor de um enorme e reconhecido talento e savoir-faire, com uma paixão assumida pela elegância feminina e uma enorme capacidade de elevar um simples sapato a uma verdadeira obra de arte. 


Mathilde.png

É portuguesa e italiana. Tem várias obsessões como: queijo, t-shirts com frases que dizem o que pensa, brincos gigantes, funk e compras online. (Há quem diga que é shopaholic, mas ela acredita que isso são apenas calúnias infundadas.) Frequenta o mestrado em Jornalismo de Moda na London College of Fashion e quando não está na faculdade, está em casa a postar instastories inúteis. Segue a Mathilde aqui.