#WomenInTech: Sofia Lacerda

O Peachy, em parceria com a Portuguese Women in Tech, vai apresentar-vos algumas figuras ligadas ao ramo da tecnologia, com o objectivo de sensibilizar o público em geral para a forma como estas mulheres estão a mudar o panorama nacional através da sua participação na criação de start-ups, novos modelos de negócio, empresas de relevo internacional e com a sua actividade, abrindo caminho no estrangeiro para todas nós. Para ler o artigo original, em inglês, clique aqui.

SofiaLacerda-large.jpg

Sofia Lacerda

Perfil

  • Tempo na área: 19 anos
  • Posição actual: Creative Director & Product Designer @ Enjoythis
  • Local de Origem: Porto
  • De onde vens e o como chegaste aqui?

Nasci e cresci na Foz do Douro no Porto, mesmo junto ao mar. Uma das minhas primeiras memórias de quando eu era criança é do meu pai a trazer um computador novo para nossa sala de estar, o nosso primeiro computador. Eu estava no sofá a segurar no meu biberão. Eu acho piada lembrar-me disso.

Quando eu tinha 18 anos, mudei-me para Londres para estudar Comunicação. Dezassete anos depois e eu ainda aqui estou.

  • Como é que chegaste à área da tecnologia?

Acho que fui uma das primeiras pessoas na escola a ter a internet em casa. Lembro-me de ter que explicar aos meus amigos o que era a internet. Comecei a brincar com aquilo e criei um site de fãs para minha banda favorita. Quando eu tinha 16 anos (e ainda estava na escola), consegui um part-time a criar sites para a Universidade de Ciências do Porto, pois dificilmente se encontrava developers da web na época. Foi assim que tudo começou.

  • Fala-me do teu trabalho e o que fazes neste momento.

Depois de terminar a universidade, fui freelancer e trabalhei em várias agências de publicidade em Londres. Fundei um estúdio digital chamado Enjoythis, que dirigi durante oito anos. Trabalhámos com startups e também colaborámos com algumas das melhores agências do mundo, projetando e construindo aplicações para algumas grandes marcas, como Umbro, Diesel, Sony e Bacardi. Em 2015, a Enjoythis foi nomeada Agência do Ano e Site do Ano para Desenvolvedores da Awwwards.

Depois de tantos anos a fazer principalmente websites, senti que era hora de mudar, então, nos últimos dois anos, mudei meu foco para o design de produtos. Eu tenho trabalhado com uma empresa chamada Pilot, um laboratório de conceito de tecnologia especializado em R&D, incubação de produtos e previsão de longo prazo.

Eu faço vários conceitos de UX Model e UI / Design. Recentemente, participei de projetos para o Spotify, Delta Airlines, Fundação Bill & Melinda Gates, Skype e Microsoft.

No ano passado, também liderei todo o re-design do Antidate, uma aplicação que liga solteiros e lugares.

  • Qual a parte do trabalho que fazes que mais gostas?

Adoro fazer parte de um projeto apreciado pelo público. Conseguir um bom feedback é ótimo, não de um modo egocêntrico, faz com que todo o trabalho valha a pena.

  • Como consideras que o teu background e conhecimento influenciaram a abordagem que tens com o teu trabalho na indústria da tecnologia portuguesa?

Eu sempre tento levar as coisas em frente, para tornar o design mais fresco e avançado, limpo e focado no utilizador.

leituras-verao-billboard
  • Que conselho darias a jovens mulheres que querem entrar para o sector da tecnologia e não sabem por onde começar?

Eu posso dar conselhos para aqueles que querem trabalhar no campo do design. O melhor é começarem a brincar com o design e a mostrar o vosso trabalho. Criem o vosso próprio projeto, mesmo que seja apenas um conceito. Ou façam projetos para terceiros que tenham ideias, mas não saibam como a executr. Projetar e construir seu próprio site. Presumo que, se alguém quiser fazer design, significa que já usou algum software de design e aproveitou, mas, se não, há muitos tutoriais on-line. Integrem-se em comunidades de design como o Dribbble (dribbble.com), que é uma ótima plataforma.

  • Guia-me num dia teu como mulher portuguesa no mundo da tecnologia.

O meu dia de trabalho perfeito começa comigo a acordar por volta das sete horas e antes de me preparar para sair, passo de uma a duas horas a ler as notícias e blogs, a anotar todas as coisas que tenho que fazer ou a trabalhar nos meus próprios projetos. Se minha mente estiver muito "ocupada", tento meditar. Eu gosto de ter esse tempo de manhã para mim antes de começar o trabalho "a sério". Leva-me quinze minutos a pé até ao meu estúdio e é um passeio super agradável. Eu tenho liberdade para trabalhar as vezes eu quero, mas eu tendo a trabalhar das nove às seis da tarde e algumas noites. Há um ótimo estúdio de ioga ao lado do meu local de trabalho, então eu tenho aproveitado para fazer um pouco de ioga à hora do almoço ou depois do trabalho. Eu tento evitar usar o computador e meu telefone à noite, mas é difícil.

  • Qual foi o melhor conselho que alguma vez recebeste?

Paula Scher, uma designer que eu admiro, disse uma vez: “Demorei alguns segundos para desenhar, mas levei trinta e quatro anos para aprender a desenhar em poucos segundos”.

  • Que Apps/Software/Ferramentas é que já não conseguias viver sem?

São muitas, mas aqui estão as básicas:

Um bloco de notas (e caneta) para fazer listas de coisas para fazer e outro bloco de notas para esboçar ideias de UX. TextEdit para Mac. Adobe Illustrator, Photoshop e Sketch para criação. Flinto e Marvel para fazer prototipos. Trello e Slack para gerir equipas. Hangouts para videochamadas. Google Docs, Sheets e, mais recentemente, também o Google Keep. No ano passado, troquei meu iPhone por um telefone do Google Pixel e adorei. Eu uso bastante o Pinterest principalmente para ideias de decoração e culinária, mas também para inspiração em design gráfico.

  • Links que queiras partilhar?

No ano passado lancei um projecto chamado JO& SO (joandso.com) com a minha irmã, que é uma colecção curada dos melhores lugares para ficar em Portugal. Eu tenho viajado muito por Portugal, o que é muito fixe.

  • Outra coisas que queiras partilhar?

Algo engraçado - www.lmgtfy.com