#WomenInTech: Maria Costeira

O Peachy, em parceria com a Portuguese Women in Tech, vai apresentar-vos algumas figuras ligadas ao ramo da tecnologia, com o objectivo de sensibilizar o público em geral para a forma como estas mulheres estão a mudar o panorama nacional através da sua participação na criação de start-ups, novos modelos de negócio, empresas de relevo internacional e com a sua actividade, abrindo caminho no estrangeiro para todas nós. Para ler o artigo original, em inglês, clique aqui.

12096046_10153395367149457_7445802244438281534_n-large.jpg

Maria Costeira

Perfil

  • Tempo na área: 13 anos
  • Posição actual: Head Advisor for Health & Nano Technologies + Angel Investor + Managing Partner @ JiTT.travel + Co-Founder @ Agentif.ai
  • Local de Origem: Coimbra
  • De onde vens e o como chegaste aqui?

Nasci no Zimbábue, cresci em Coimbra. A minha mãe diz que havia algo na água do nosso bairro, porque todos os 'seus' filhos são bem únicos: de Pedro Bizarro de Feedzai ou Bruno Carrilho de Cerveja Musa, a indivíduos menos conhecidos, mas igualmente válidos, todos já tentaram ter um impacto “positivo” na sociedade. Fiz os meus estudos universitários no Reino Unido, comecei a trabalhar nos EUA para uma multinacional americana, a AMC Entertainment Inc, a maior empresa teatral do mundo, onde acabei a liderar as operações em toda a Europa, mudando a cada dois anos para um país diferente. Fiz o meu mestrado em Oxford e especializei-me em M&A em Stanford, o que me levou à minha próxima etapa a administrar ativos sob gestão de uma empresa de PE, o que me deu a chance de adquirir minha primeira empresa de tecnologia NuVison (uma empresa de 3D de Portland, Oregon). Foi baseado no conhecimento desta empresa que eu fundei com Ami Dror (Israelita) e um investidor esloveno, XPAND, que chegou a ser uma das principais empresas de 3D do mundo, com uma joint venture com a Samsung, Sony e Panasonic. Ao diversificar (aquisição de uma empresa israelita), entrei no espaço médico, principalmente nos dispositivos médicos, dos quais fiquei extremamente interessada, e nos quais trabalho desde então.

  • Como é que chegaste à área da tecnologia?

Trabalhei sempre internacionalmente e apenas voltei a Portugal no ano passado. Carlos Oliveira, ex-Secretário de Estado do Empreendedorismo, desafiou-me com dois projetos: o INL (Laboratório Internacional de Nanotecnologia, Organização Intergovernamental criada para fomentar a pesquisa interdisciplinar em Nanotecnologia e Nanociência) e com o Startup Braga, no sentido de criar uma incubadora líder para o país, refletindo nossa experiência em Silicon Valley e criando um verdadeiro ecossistema empresarial. Além disso, também conheci há uns anos atrás num websummit em Dublin, uma startup de tecnologia portuguesa da Portugal Ventures, a JiTT.travel, que fui seguindo, e que acabei por me juntar à equipa, para transformar seu core business de B2C para B2B, e tornando-a num player mundial.

  • Fala-me do teu trabalho e o que fazes neste momento.

Start-up Braga, do INL, do CeNti e da Universidade do Minho, criámos a primeira incubadora e aceleradora de startups baseadas em nanotecnologia no país e uma das únicas do mundo. Tenho o privilégio exclusivo de ser a Head Advisor do programa, por isso tenho a oportunidade de trabalhar com pessoas e projetos de destaque que querem ter um impacto positivo no mundo: desde a detecção de metástase em estado inicial, até filtros de tratamento de água mais eficazes.

O SBS pre-seed Fund tem o objetivo de financiar projetos que estejam numa fase que necessite de financiamento mínimo para validação de produto/negócio;

Na JiTT.travel, pretendemos estabelecer-nos como a única empresa de serviços completos para a indústria de Viagens e Turismo, unindo tecnologia e conteúdo. O meu foco principal é a internacionalização do negócio e a profissionalização da organização.

  • Qual a parte do trabalho que fazes que mais gostas?

Todos os dias aprendo algo novo, todos os dias sou desafiada a questionar os meus próprios pensamentos e a adquirir conhecimento. Ajudar as pessoas a transformarem a ideia em produtos/negócios reais, e muito importante, ajudando-os a vendê-los(as)!

  • Como consideras que o teu background e conhecimento influenciaram a abordagem que tens com o teu trabalho na indústria da tecnologia portuguesa?

Eu penso e funciono à escala global. Do Japão à América Latina, ou EUA, conheço as especificidades dessas culturas e mercados, e tenho uma rede de distribuição estabelecida, do B2B ao retalho, que são de importância estratégica para o desenvolvimento de negócios das startups nacionais.

leituras-verao-billboard
  • Que conselho darias a jovens mulheres que querem entrar para o sector da tecnologia e não sabem por onde começar?

Podem alcançar tudo o que se dispuserem a fazer! Tenham a mente aberta para aprender tudo e com todos com os quais tiverem a oportunidade de aprender; falem com pessoas; sejam apaixonadas pelas coisas que gostam; auto-confiantes e mais importante trabalho, trabalho, trabalho!

  • Guia-me num dia teu como mulher portuguesa no mundo da tecnologia

Os dias realmente variam dependendo:

1) Se estou a viajar (há uma grande probabilidade de isto estar a acontecer)

2) Se não estou a viajar, mas se estou a trabalhar/conferênciar comum fuso horário diferente. Se é com a Ásia, as manhãs são muito ocupadas, se é com as Américas ou a Nova Zelândia, os dias terminam muito tarde!

Dito isto, eu sou uma pessoa matutina (insuportável com energia avassaladora) e meu dia começa cedo, muito antes das seis da manhã. Café, notícias (eu recuso-me a assistir às notícias na TV), e-mails de emergência e alguns rindo com entes queridos. A partir daí, todos os dias tendem a ser diferentes. Mesmo estando em Portugal, passo os meus dias entre Lisboa, Coimbra, Porto e Braga, pelo que não há uma rotina específica com a qual me identifique. Eu tento ir para ao ginásio ao fim do dia para um pouco de spinning ou pilates: alguns dias sou bem sucedida!

  • Qual foi o melhor conselho que alguma vez recebeste?

“Suck it, and move on!“ 

  • Que apps/software/ferramentas é que já não conseguias viver sem?

Eu sou uma pessoa de hardware! 3D, VR, AR, robótica, são o meu tipo de coisa! Eu sou fascinada por hologramas!

  • Links que gostarias de partilhar?

INLStartup Braga - http://www.investbraga.com/startup/index.php?slang=en_US

INL - http://inl.int/

JITT.Travel - https://www.jitt.travel/en/

  • Mais alguma coisa que gostarias de partilhar?

Ciências são fixes!