#Viagens: A Praça Vermelha de Moscovo

 
80a2737eb83d296cfe2c243de96d86bc.jpg
 

Se mostrares a qualquer pessoa uma fotografia da Catedral de S. Basílico e do Kremlin, até podem trocar-se e chamar à Catedral, “Kremlin”, mas sabem imediatamente que é uma foto da Praça Vermelha de Moscovo. Não só é um local mundialmente famoso, mas também é considerado como central da Rússia (deste local partem várias vias principais) e separa a cidadela Real (conhecida como Kremlin) do bairro histórico Kitay-gorod, uma das zonas mais antigas de Moscovo.

As pessoas falam do Kremlin como se fosse o único no mundo e usam a expressão para se referir ao governo da Federação Russa. Na verdade, este é apenas o mais conhecido da cidade. Kremlin significa fortaleza ou forte e era uma construção militar que tinha o objetivo de proteger contra os invasores. Algumas cidades, à semelhança de Moscovo, surgiram à volta de um kremlin. Este em especial, que ocupa cerca de 30 hectares, é a residência oficial do Presidente da Rússia, além de outros vários palácios e igrejas. 

O nome da Praça Vermelha de Moscovo surgiu de uma palavra russa que pode significar “vermelho” ou “bonito” e não da cor dos tijolos utilizados nos vários edifícios que a compõem nem com o sistema político-económico de comunismo em vigor até à década de 90. À semelhança da expressão portuguesa, a Praça Vermelha foi durante vários anos uma praça comercial dos comerciantes do bairro de Kitay-gorod e onde os habitantes do Kremlin se congregavam para celebrar e fazer um exemplo daqueles que eram punidos. Mais recentemente, durante a era Soviética, foi palco de várias paradas militares. Hoje em dia, é um local fechado ao trânsito e um destino turístico por excelência: embora esteja cheio durante o dia, não há nada como uma visita noturna, para quem não tem frio, para ver as torres e cúpulas iluminadas que criam um panorama noturno incrível.

Quem gosta de múmias - pelo menos em filmes - não pode deixar de visitar o Mausóleo de Lenim, fundador da União Soviética e provavelmente a múmia mais famosa da época contemporânea. Para quem achar estranho ele ter sido mumificados, é importante lembrar que tal como estátuas e outros momentos, o corpo de Lenim foi também usado como um símbolo do sistema político - já que a religião estava mais que banida, porque não venerar uma relíquia política? Segundo li, Lenim queria ser enterrado perto da campa de sua mãe e nem os protestos da sua viúva demoveram Stalin de tomar posse do corpo, de o preservar e de o por em exposição. E sim, Stalin não deixou instruções para lhe fazerem o mesmo depois da sua morte e encontra-se enterrado, junto a outros líderes do partido, na Kremlin Wall.

A Catedral de São Basílio encontra-se localizada na Praça Vermelha e foi construída para celebrar a vitória da reconquista de duas cidades que se encontravam sob o domínio tártaro-mongol. O desenho deste edifício simboliza uma fogueira com as chamas em direção ao céu e a mistura de cores, padrões e formas acabaram de certa forma por definir um estilo particular e característico à Rússia. Reza a lenda que Ivan o terrível mandou cegar os arquitetos responsáveis por este design para que não pudessem desenhar nada semelhante ao que viria a ser o mais irónico dos edifícios da Rússia.


 
Catarina Lourenço.png

Catarina é uma blogger de viagens a tempo inteiro, com uma curiosidade insaciável em perceber o que vê. Para ela viajar é mais do que tirar umas fotos! Segue as Aventuras de Catarina no seu Site, Facebook, Instagram, Twitter, Pinterest e YouTube.

CityPack - www.wook.pt