Por favor, não incomodar

 
 

Quando uma mulher se torna mãe, há imensas coisas que mudam - penso que seja óbvio para todos.

Logo à entrada da Maternidade avisam-nos que é hora de abandonar o nosso orgulho… quando seguramos o nosso rebento… sentimos o imenso peso da responsabilidade… Eu podia enumerar todas as situações, contudo o que eu quero é partilhar uma que raramente é falada: nunca mais vais ter um momento de sossego!

Pode parecer um bocado extremista mas quando são pequeninos, preocupamo-nos se vão acordar a qualquer instante. Quando são maiores preocupamo-nos se vão tentar agarrar alguma coisa ou gatinhar para sítios que não devem, sem esquecer claro quando há o perigosíssimo silêncio!

Não há um momento de sossego quer seja nas tarefas domésticas, quer em coisas completamente naturais, como ir à casa-de-banho e/ou tomar banho. Hoje gostaria de vos falar deste último...

Para quem não tem filhos, pode pensar que estou a ser super dramática mas o pessoal com filhos está neste momento a abanar a cabeça em afirmação ou a fazer um face palm.

Eu agora penso, como é que antes de ter o bebé para conseguir demorar 15 a 20 minutos a tomar um duche?! De momento, demoro no máximo 5 minutos. Sou a minha própria equipa de box de Fórmula 1. Da Ferrari…

Nos dias em que tomo banho com o Mais-que-Tudo em casa, há todo um sinal imaginário pendurado na porta da casa-de-banho a dizer "Please, do not disturb" e gosto de pensar que está subentendido sob pena de morte, mas isso sou eu.

É incrível como depois de ter filhos, uma coisa tão simples se torna como um acto de luxo. Um duche quando não temos que nos preocupar com o nosso rebento torna-se numa verdadeira ida a um Spa de 5 estrelas!

Temos musiquinha ambiente, o apreciar da água a correr, esfoliação, poder colocar amaciador e esperar que faça efeito, fazer a depilação ao mato que são as nossas pernas, sair do banho com calma e não correr o risco de espetar com a cabeça nos azulejos, na loucura que é passar creme no corpo...

Por isso, este momento só pode ser interrompido por situações de vida ou de morte! Se por acaso o Mais-que-Tudo pensar em tocar na maçaneta da porta, já começa a ouvir todo um rosnar do outro lado da porta. Sim... porque o sexto sentido de mãe que tanto falam, não se aplica só ao bebé.


 
C.C..png

C.C. é viciada em palavras: as que lê e as que escreve. Sigam as suas aventuras aqui no Peachy e os episódios do seu dia-a-dia à medida que acontecem, no seu blogFacebook e Instagram.