Fui despedida, e agora?

 
bruno-cervera-368199.jpg

O mundo do trabalho não é fácil e por vezes há situações que não queremos de todo encarar de frente. Estás despedida ou estás dispensada são duas expressões capazes de deitar abaixo a pessoa mais confiante do mundo. Mas o que podemos nós fazer? Uma coisa é certa, parar não está nos nossos planos.

 

Os teus direitos

Antes de mais, é preciso conhecer os nossos direitos e como utilizá-los a nosso favor. Tens de ter em atenção o contrato que assinaste e só depois é que saberás como agir.

Não tenhas medo de pedir ajuda no IEFP ou de contactar o ACT.

Se te surgiu uma nova oportunidade de emprego ou queres abandonar a empresa, o que tens a fazer é avisar a entidade patronal com antecedência e entregar uma Carta de Despedimento. Sim, tens de escrever a carta para não teres problemas legais. Se estás na empresa há mais 6 meses, com um contrato a termo certo e queres sair de livre vontade mas no contrato está explícito “dar dias à casa”, então terás de os dar.

 

Atualizar o CV

Dar um update e deixá-lo mais atrativo – nada de mentiras, pois elas depressa podem ser descobertas. Não te fiques pelo Europass e usa outros modelos, mostra tua personalidade através do CV. Apaga detalhes que aches desnecessários e pede a uma amiga para dar uma vista de olhos, pois pode haver pequenas coisas que para ti sejam importantes mas que na realidade não o são.

Não te esqueças de reescrever a tua Carta de Motivação, acredita que passado algum tempo é bom salientar outros fatores e acrescentar um je ne sais quoi à dita carta.

 

Não entrar em pânico

Estamos novamente numa situação vulnerável, mas isso não implica irmos abaixo. Temos de usar as nossas forças e acreditar que algo de bom está para vir.

Se começarmos logo a entrar em pânico o desgaste emocional será maior e não estaremos a 100% para o próximo desafio. Se a tua mente foge para a negatividade, procura formas para te esquivares dela – corre, dança, lê ou medita – mantêm a mente ocupada.

 

Procurar outras formas de rendimento

Um dos fatores que mais preocupa uma pessoa desempregada é a falta de rendimento, mas existem soluções que podem render alguns trocos. Fazer uma limpeza geral e descobrir coisas em bom estado, que possam ser vendidas é um bom exemplo. Se sempre tiveste jeito para trabalhos manuais ou para a doçaria podes sempre aproveitar esse talento.

Há trabalhos temporários, há trabalhos em part-time e em regime freelancer, o que não faltam são opções.

 

Estudar

Adquirir novos conhecimentos, aprofundar novas técnicas só irá beneficiar a tua pessoa. Nunca é tarde para aprender. Há tantos workshops e tantos cursos que hoje em dia é impossível não querer voltar a estudar. Que tal uma nova língua? Um workshop de escrita?

 

Dar nas vistas mas com classe

Se achas que ficar em casa não está a dar resultado, então imprime vários CV’s e toca a entregar diretamente nas empresas. Faz uma pesquisa das empresas com as quais gostavas de trabalhar e faz um roteiro “turístico” pelas várias empresas.

 

Sê voluntária

Como já foi dito anteriormente, para não caíres numa onda de negatividade tens de manter a cabeça ocupada e fazer voluntariado é uma boa forma disso. Há associações que aceitam pessoas para brincar com as crianças, para a sopa dos pobres ou até mesmo para as bibliotecas. Basta procurares na internet associações na tua zona e perguntares se precisam de ajuda. Além de te manter ocupada, é sempre uma nova experiência e dá mais valor ao teu currículo.

 

O “não” está garantido

Não deixes de enviar CV’s para certos sítios porque achas que não mereces ou que não serás aceite. Não tenhas medo, porque o não está garantido. Se encontrares uma proposta de emprego aliciante mas não envias o CV’s por medo da resposta, então vais viver em constante negação. Corre o risco, envia candidaturas espontâneas,  só não podes é deixar de enviar.

 

Dar o salto

Este ponto é delicado porque não é fácil deixar o nosso país. Acontece que nem sempre as coisas correm bem e há oportunidades lá fora que não podemos deixar escapar. Se tens um espírito aventureiro e gostavas de viver no estrangeiro, aqui está a oportunidade que tanto esperavas.

Não é fácil e não é para todos, mas a vida é feita de medos e de obstáculos e são esses, que devemos ultrapassar, caso contrário, vivemos em monotonia.

 

Tornar o sonho numa realidade

Se sempre sonhaste em abrir uma empresa ou ter o teu próprio negócio, toca a torná-lo realidade. O estado português tem vários programas que ajudam os mais jovens a criar a sua empresa. Tens a ideia bem estudada? Sabes de quanto precisas para começar? Então, apresenta o teu sonho e tenta a tua sorte, quiçá não te tornarás numa mulher de negócio bem-sucedida.

 

Não desistir  

Palavras de incentivo são sempre bem-vindas e o acreditar em nós mesmas ajuda. A palavra de ordem é ir à luta e não baixar os braços. Be bold! Be Peachy!