A Esposa Perfeita – Estudo comparativo 1950-2017 (para parecer coisa séria)

 
 
 Photo by  loli Clement  on  Unsplash

Photo by loli Clement on Unsplash

 

Sempre gostei de ler livros antigos sobre como ser uma fada do lar - não julguem já, ou vocês não brincavam as casinhas, às Barbies e às mães? Fui educada para ser uma fada do lar e embora esteja muito longe disso, orgulho-me de saber uma coisa ou outra. Calma, meninas feminazis que acham que estrelar um ovo é um ataque à nossa liberdade e independência, não hiperventilem já, têm tempo. Este artigo nasce de um outro que li sobre as dicas para ser uma boa esposa em 1950, e embora fosse um artigo num tom indignado por todas estas dicas parecerem ofensivas para as mulheres, quero mostrar-vos o porquê de na minha opinião não o ser.

 
 "Não é uma tosta mista... é um croque-monsieur"

"Não é uma tosta mista... é um croque-monsieur"

 

1950: “Tenha o jantar sempre pronto. Planeie com antecedência. Esta é uma maneira de deixá-lo saber que se importa com ele e com as suas necessidades.”

2017: Se não tens o jantar planeado com antecedência (ou se ele/a não planeou o jantar) vais perder muito mais tempo a ir as compras e depois a cozinhar quando podias ir fazer outra coisa bem melhor. Congela, compra feito, encomenda, vai jantar fora.

 
 "Estou a fazer uma dieta rica em açúcar!"

"Estou a fazer uma dieta rica em açúcar!"

 

1950: “A maioria dos homens estão com fome quando chegam em casa, e esperam uma boa refeição (especialmente se for seu prato favorito), faz parte da receção calorosa.”

2017: A maioria das mulheres não é sensível à fome, aguentamos viver do ar e o nosso prato preferido normalmente engorda. Tirando a última parte, foi tudo irónico, ok? Se tiveram um dia chato jantar o nosso prato preferido faz maravilhas, o mesmo conta para quem vive connosco e não custa nada dar um miminho de vez em quando.

 
 "Relax... Don't do it!" - Freddy Goes to Hollywood

"Relax... Don't do it!" - Freddy Goes to Hollywood

 

1950:Separe 15 minutos para descansar, assim estará revigorada quando ele chegar. Retoque a maquilhagem, ponha uma fita no cabelo e pareça animada.”

2017: Vai ao ginásio ou deita-te no sofá quando chegas a casa, descansa um bocadinho antes de ires fazer tudo o que tens pendurado e deixa algumas coisas para a outra metade fazer, não queremos que fique invejoso/a por não ter trabalho nenhum. Tira a roupa do trabalho, e veste o pijama ou em dias especiais uma coisinha mais interessante. O descanso no sofá pode ser antes uma pausa para a atividade física a dois.

 
 "So happy togeeeeeether!"

"So happy togeeeeeether!"

 

1950: “Seja amável e interessante para ele. O dia dele foi chato e pode precisar que o anime e é uma das suas funções fazer isso.”

2017: Os dias podem ser uma merda, mas se levam os problemas para casa e estão os dois deprimidos ou a despejar um em cima do outro a coisa não vai correr bem, desabafem e deem um abracinho para animar. Esta é umas das maiores funções de um casal, ter paciência e fazer rir.

 
 

1950: “Coloque tudo em ordem. Dê uma volta pela parte principal da casa antes do seu marido chegar. Junte os livros escolares, brinquedos, papel, e em seguida, passe um pano sobre as mesas.”

2017: Menos apanhar a roupa interior que possa andar no chão, não dá. Está no chão ao lado do cesto da roupa suja?! O casamento e as relações são sobre partilha, arrumem as vossas e deixam o prazer de arrumar o resto para o outro.

 
 

1950: Durante os meses mais frios você deve preparar e acender uma fogueira para ele relaxar. Seu marido vai sentir que chegou a um lugar de descanso e refúgio. Afinal, providenciando seu conforto, você terá satisfação pessoal.”

2017: Há muita gente que tenha lareiras? Se não tiverem não acendam fogueiras em casa, diz que faz um fumo desgraçado e estraga o tapete. Se tiverem frio, liguem o aquecedor, ficarão muito mais confortáveis e cheias de satisfação pessoal com a conta da luz.

 
 

1950: “Dedique alguns minutos para lavar as mãos e os rostos das crianças (se eles forem pequenos), pentear os cabelos e, se necessário, trocar de roupa. As crianças são pequenos tesouros e ele gostaria de vê-los assim.”

2017: Nada pior do que crianças sujas.Vistam-lhes aqueles vestidos cheios de rendas e ponham-nos em cima dos móveis a fazer de decoração.

 
 

1950: Minimize os ruídos. Quando ele chegar desligue a máquina de lavar, secadora ou vácuo. Incentive as crianças a ficarem quietas.”

2017: Liguem todas as máquinas à noite porque diz que sai mais barato para quem tem bi-horário. Como vão estar tão cansados de ensaboar as crianças vão dormir de certeza que nem bebés.

 
 

1950: Seja feliz em vê-lo. O receba com um sorriso caloroso, mostre sinceridade e desejo em agradá-lo. Ouça-o.”

2017: Lá está, abracinho, brincadeira no quarto, crianças fechadas, boa conversa, misturem um copo de vinho.

 
 

1950: "Você pode ter uma dúzia de coisas a dizer para ele, mas sua chegada não é o momento. Deixe-o falar primeiro, lembre-se, os temas de conversa dele são mais importantes que os seus."

2017: Toda a gente sabe que chegar a casa é correr para a casa de banho, por isso se tem que conversar logo, fiquem com a porta fechada pelo meio que sempre abafa qualquer coisinha.

 
 

1950: "Nunca reclame se ele chegar tarde, sair para jantar ou outros locais de entretenimento sem você. Em vez disso, tente compreender o seu mundo de tensão e pressão dele, e a necessidade de estar em casa e relaxar."

2017: Saiam os dois com regularidade com os vossos amigos, não há nada mais anos 50 que ciumeira e casais dependentes.

 
 

1950: "Deixe-o confortável. Faça com que ele se incline para trás numa cadeira agradável ou deitar-se no quarto. Dê uma bebida fria ou quente pronta para ele."

2017: Abre uma cerveja, senta-te na varanda, desfruta, descansa.

 
 

1950: "Arrume o travesseiro e se ofereça para tirar os sapatos dele. Fale em voz baixa, suave e agradável."

2017: (Há coisas difíceis de dar a volta)Não berres porque há sapatos e ténis espalhados pela casa, e se reparares bem metade são teus.

 


Nota da Editora:

Se depois deste micro estudo comparativo ainda estás numa de ser uma Dona de Casa perfeita convido-te a ler "The Stepford Wives" de Ira Levin. Caso não estejas para isso, podes sempre ver a versão cinematográfica Mulheres Perfeitas (2004), com Nicole Kidman ou, para os puristas, o original de 1975, com a incrível Katharine Ross

- Diana Duque