Descobertas da Semana #20

Bom dia caros ouvintes e boa sexta feira. Antes de mais, mil desculpas pela balda da semana passada, mas prometo compensar!

Para quem ainda não reparou estamos em plena Taça das Confederações, eu sei que quase ninguém liga a isto, mas desde que ganhámos o europeu que andava em pulgas para ver a seleção outra vez. Mais importante ainda do que o futebol, este país juntou-se esta semana em volta de algo muito maior. Somos grandes nas alegrias, mas somos ainda mais fortes em momentos difíceis, e embora tenham sido dias de peito apertado, no meio do aperto há um orgulho gigante em ver a bondade e generosidade que temos em nós. Assim, como pequeno gesto patriótico em forma de demonstração de orgulho, as descobertas desta semana são todas deste cantinho solarengo. Tenho um imenso orgulho em ser portuguesa e de ficar constantemente fascinada com este país, mesmo nas alturas mais duras.

 

Alexander Search é um dos heterónimos criados pelo poeta e escritor português Fernando Pessoa e é também o mais recente projeto de Júlio Resende com Salvador Sobral na voz. A ser apresentado oficialmente no Super Bock Super Rock, este projeto agarra nos poemas que Pessoa escreveu em Inglês nos tempos que viveu na África do Sul e transforma-os neste resultado magnifico. Acho que não podíamos começar com maior e melhor homenagem. 

Alexander Search

 
 

 

Passando para outro género musical,  há duas novidades no mundo do hip hop que ainda não falámos aqui e são tão importantes que não podemos passar ao lado. Os Mind da Gap anunciaram o seu fim o ano passado, no entanto, Ace traz-nos o seu novo álbum a solo e nós ficamos um bocadinho mais consolados. A referência a Marlon Brando dá-se por duas razões: pela autenticidade do ator n’O Padrinho e pela alcunha de Ace como o Padrinho do Hip Hop português.  

Ace – Marlon Brando

 
 

 

A segunda, e pessoalmente ainda mais esperada, é o novo lançamento de Valete. Foram 11 anos de espera, e valeu tanto a pena. Rap Consciente é cru e duro, é o hip hop no seu melhor e segundo o seu autor: “Rap Consciente não é direcionada para o Rapper Prodígio de Força Suprema. A ideia da música não é individualizar mas sim abordar um problema geral do que estamos a viver na música Rap e na cultura Hip Hop. O Hip Hop está a perder a sua matriz humanista e contra-cultural e a tornar-se cada vez mais um tubo de ensaio para experiências de novos hedonismos e novos materialismos”.

Valete – Rap Consciente

 
 

Vou já pedir aqui desculpa a quem não gosta deste género musical mas convém dizer que estamos aqui a assistir a um rol dos nomes mais importantes da musica portuguesa. Desde o Salvador Sobral que nos levou onde não esperávamos, aos pais e padrinhos do hip hop português… a dupla seguinte tem tão ou maior importância, e é das minhas preferidas. Beatbombers, são DJ Ride e Stereossauro e para quem não sabe são campeões mundiais de scratch, depois de já terem sido vice-campeões. Isto, caros ouvintes, não é do melhor que se faz por cá, é do melhor que se faz no mundo! Para ajudar, a capa do álbum é feita por outro herói nacional – Vhils – e tem a participação de outros grandes nomes da musica nacional. 

Beatbombers – Beatbombers LP

 
 

 

Vamos acabar na mesma onda com que começámos: ainda não é um nome muito conhecido, mas cheira-me que não por muito tempo. Beatriz Pessoa (só agora é que me apercebi que partilha o nome com o autor das letras da primeira descoberta) tem apenas 23 anos mas é dona de uma voz intimista e encantadora. É bom ver que há miúdas (desculpem quem tem 23 anos, mas para mim é uma miúda) a fazer este tipo de musica com tanta qualidade!

Beatriz Pessoa – Insects