#NoRadar: José Gourmet

 
 
 

Um piloto de aviões, um designer e uma assistente de bordo entraram num bar… Podia ser o início de uma anedota, mas na verdade foi o início de um negócio. Adriano Casal Ribeiro (o piloto), Sofia Almeida Santos (a assistente de bordo) e Luis Mendonça (designer), decidiram pegar no melhor de Portugal e apresenta-lo a novos mercados, com a chancela de um dos nomes mais portugueses de sempre, José, juntando os seus produtos ao panteão de ilustres “Zés”  portugueses, como Saramago e Mourinho.

Sofia Almeida Santos, co-fundadora do José Gourmet, explicou como a marca é uma iteração de várias iniciativas de empreendedorismo, desenvolvido no ângulo da paixão sem deixar os seus dayjobs. “O futuro passa por toda a gente ter a sua própria microempresa. Toda a gente tem de ter um complemento ao trabalho diário, para manter os níveis de motivação altos.”, disse. O seu negócio é seleccionar alguns artigos alimentares tradicionalmente portugueses, ainda fabricados de forma artesanal e com grande qualidade, e dar-lhe uma imagem adequada aos dias de hoje: original, chamativa e 100&% portuguesa. Também têm por base o princípio de comércio justo, em que o valor de cada produto não é diminuído ao máximo para ser acessível a todos, mas antes obtido pela vontade dos produtores, indo ao encontro do preço conveniente a ambas as partes.

O ângulo? Não apostar no tradicional “mercado da saudade”, mas antes trazer o mais típico de Portugal para o século XXI. Nasceu para ser premium e para combater aquela imagem que os produtos portugueses têm de “patinho feio”, num mercado de produtos de igual qualidade mas de origem mais celebrada como os produtos italianos e franceses. Basta provar os produtos para sentir a diferença e uma autêntica festa de sabores no palato. Nunca fizeram publicidade e foram mesmo os grandes títulos internacionais, como a Wallpaper e a Monocle, que vieram ter com eles.

 

 

José Gourmet é um esforço de equipa, com o seu quê de indie, nunca precipitado, com um crescimento orgânico que no fundo veio colmatar uma falha de mercado que ainda não tinha sido percebida. “Vendemos energia. Costumo dizer ‘your vibe defines your tribe’ . Essa energia passa para os clientes. Há diferença quando gostamos do que fazemos”. Os pormenores são fundamentais para eles, passando muita da metodologia da aviação para o seu dia-a-dia na empresa, em especial o rigor e a qualidade dos briefings (para que toda a gente compreenda o que tem de fazer).

Sofia refere que o resto do mundo ainda não conhece bem Portugal nem os Portugueses: “Nos meus voos com a TAP ainda há muita gente que me pergunta se sou francesa ou de outra nacionalidade que não a Portuguesa. Ainda há muito aquela imagem típica do português, dos anos 60, dos nossos imigrantes sem estudos, com pele escura e de estatura baixa… tudo o que seja diferente é claramente estrangeiro”. José Gourmet é provavelmente um dos melhores embaixadores da nossa cultura e uma forma de desmistificar o que é ser Português, que não é só uma coisa, são várias. Conquistar o mundo através do estômago! 

Um outro aspecto importante quer no espírito de Sofia, quer no ethos do José Gourmet, é que “ao ter sucesso com a sua empresa, estamos a puxar para cima outras empresas portuguesas”. Ter concorrência é bom, mas canibalizar mercados, não. O sucesso da José Gourmet traz sucesso a outras empresas neste segmento e permite a sua projecção, permite “caminharem de braços dados”.

Mensagem para futuros empreendedores? “É importante ter bons estudos e ir ver o mundo. Conhecer outras realidades é enriquecedor, porque dá um know-how, uma perspectiva diferente que permite fazer mais com aquilo que se aprendeu. As pessoas têm de ser práticas, ir atrás dos sonhos, mas sem serem deslumbradas.”

Eles não são produtores, são connoisseurs do melhor que há em terras lusas e combinam o que há de artesanal, especial e único na gastronomia portuguesa, num design fresco e inspirador. Trazem novos mundos de sabor a terras distantes.

E se estão a pensar, mas se há uma marca de “Zés”, porque não criar também uma chamada "Maria"? “A Maria também existe! É irmã mais nova do José e é a nossa linha biológica”, explica Sofia. A Maria é uma marca dedicada a produtos orgânicos, nacionais, especializada em enlatados e produtos de pesca artesanal de espécies não ameaçadas., certificada como sustentável pela MSC. Para conhecer melhor a Maria, clique aqui.