Criando o meu próprio perfume

Escolher um perfume costuma, regra geral, ser o resultado de uma boa campanha de marketing e de várias amostras recebidas na compra de outros cosméticos. No meu caso, costumo escolher o perfume cuja amostra dura mais tempo na minha pele, pelo que a minha experiência no mundo dos perfumes tem sido completamente vazia de poesia e puramente comercial.  

Mas... E se pudéssemos injectar “mais poesia”? Foi com isto em mente que me desloquei a Grasse, no Sul de França, à Galimard, para participar num pequeno atelier de perfumaria que permite ao mais comum dos mortais fazer a sua própria fragrância.

A Parfumerie Galimard foi fundada em 1747, por Jean de Galimard, para fornecer a Corte de França com azeites e óleos naturais, tomadas e perfumes. Galimard é ainda hoje uma empresa familiar, tradicional nas técnicas e inovadora nos produtos.
— www.galimard.com

A experiência começa dentro de uma sala com várias mini-escrivaninhas cobertas de frascos de essências. Estes frascos estão organizados por “famílias de odores”, por exemplo odores florais, frutados, “marinhos”, amadeirados.

 
 

Embora fazer perfumes seja uma arte, esta não está muito longe de ser uma ciência. Conhecimentos super básicos de Técnicas Laboratoriais de Química  são úteis para manusear o material de laboratório e para evitar erros de paralaxe. O resto da ciência, especialmente no que diz respeito à quantidade e compatibilidade, ficou a cargo das fantásticas perfumistas que me acompanharam nesta aventura.

O primeiro passo é escolher as notas de fundo. As notas de fundo são uma de três “camadas” de uma fragrância, e são as responsáveis por ajudar a fragrância a fixar-se à pele (são menos voláteis, aka, as que demoram mais tempo a evaporar). Estas são as notas em que devemos ter em conta o nosso tipo de pele, porque isso vai influenciar a capacidade de fixação e de duração do perfume ao longo dia.  Começamos por abrir os frasquinhos e selecionar os odores que gostamos mais. Eu escolhi baunilha, sândalo, íris e fève tonka. A esta parte dos sentidos segue-se a parte da ciência propriamente dita, em que uma das perfumistas nos ajuda a escolher as concentrações certas para cada um dos nossos “ingredientes”.

 
 Escolhendo as notas de fundo, dos frasquinho recomendados para mulheres.

Escolhendo as notas de fundo, dos frasquinho recomendados para mulheres.

 

De seguida passamos à escolha das notas de coração (ou do meio), que são as que aparecem imediatamente a seguir à evaporação das notas de cabeça (as de cabeça são as primeiras que sentimos, mas mais sobre isso de seguida). Por vezes estas notas são usadas para mascarar as notas de fundo, enquanto estas não estão prontas a serem sentidas. Por isso é que para a escolha destas notas, em vez de as sentirmos individualmente como fizemos como as anteriores, cheiramos os frascos utilizando um papel embebido nas nossas notas de coração, entre o nariz e o frasco, para ver como se combinam os odores.

 
 Depois de misturarmos as notas de fundo, embebemos um destes papeis na mistura, para usarmos na escolha das notas de coração.

Depois de misturarmos as notas de fundo, embebemos um destes papeis na mistura, para usarmos na escolha das notas de coração.

 

As notas de cabeça não precisam da técnica do papelinho na sua escolha porque são as primeiras a serem sentidas e evaporam-se rapidamente.  Confesso que esta foi a parte mais complicada para mim, porque encontrei demasiadas notas que gostei e estas são as mais díficieis de combinar porque há muitas que são dominantes e eu, por infelicidade, escolhi imensas que se  anulavam umas às outras.

 
 Os vários frascos disponíveis para compra. Ao cimo, à esquerda, o frasco incluido no preço do atelier.

Os vários frascos disponíveis para compra. Ao cimo, à esquerda, o frasco incluido no preço do atelier.

 

No valor do atelier está incluido um frasco simples, semelhante aos das essências, mas encontram-se também disponíveis outros frascos que podem ser adquiridos separadamente. Eu escolhi um super retro com um borrifador tipo pêra.

 
   Miss Dior   - Passei o tempo todo, entre "sniffs" de essências à procura do nome perfeito...

Miss Dior - Passei o tempo todo, entre "sniffs" de essências à procura do nome perfeito...

 

Depois vem a (outra) parte difícil: escolher um nome! Isto foi algo que comecei logo a pensar desde que me entregaram a folha para eu registar a “minha receita” e no fim acabei por escolher algo que a perfumista referiu no meio da conversa!

No fim do curso, recebem o frasco com o perfume e um rótulo tradicional da Galimard, com o nome do vosso perfume e um diploma de perfumista honorário. Nesse diploma, fica também o número de série do vosso perfume, para o caso de querem encomendar mais ou encomendar um creme de corpo com o mesmo perfume (porque não?).

Agora vem a parte impossível: no atelier eles recomendam que se espere entre 10 a 15 dias para a primeira utilização do perfume. E confesso: o meu coração correu a sérios nesses 10 dias de espera porque sempre que abria a tampa que tapa o pulverizador, sentia um cheiro terrível a perfume de “velha” (aquele misto de batom estragado, no fundo de uma carteira fechada à muito tempo, com flores secas no meio). No fim, o perfume revelou-se muito mais agradável e semelhante ao que eu tinha “cheirado” durante o atelier e vivemos todos felizes para sempre... isto é, até à próxima campanha de marketing!


  • O "The Studio Fragrance" está aberto todos os dias e recomenda-se a reserva de lugar.
  • Há três workshops por dia, às 10h, 14h e 16h, com uma duração apróximada de duas horas.
  • Preço por participante: 49€ (inclui o perfume e o frasco básico).
  • Cada pessoa pode trazer um acompanhante, por mais 10€ - um participante e um acompanhante por cada criação.
  • Seminários Custom-made disponíveis por marcação.

Mais informações em www.galimard.com