Mulher ou Barbie? Às vezes confundem-me.

dbjr10fetee-aimee-vogelsang.jpg

Bem sei que sou loira, que tenho olhos azuis e que muitas de vocês poderão dizer algo como ''ahhh... que grande moral a dela'', porque no meu tempo as Barbies eram assim. Agora já diversificaram um pouco, mas as medidas, padrões de beleza e de estética são os mesmos. Já na antiguidade clássica havia o então chamado: canône de perfeição. Em que as representações de pessoas ilustres em esculturas eram alteradas consoante aquilo que na época era considerado belo. Eles lá faziam uns cálculos das dimensões entre o dedo mindinho e o caracol de cabelo que estava virado para a esquerda, porque a mão direita coiso...  Agora imaginem qual seria a reacção do  Aristóteles ao ver-se reproduzido enquanto jovem por Charles-Jean-Marie Degeorge. Seria algo como: ''Porra, pareço uma mulher!!!''. (Vão ao Google e vejam, parece mesmo!)

Somos coagidas a seguir tendências de moda porque alguém ainda mais doido e não menos iluminado do que eu decidiu que este ano é a cor-de-burro-quando-foge que está em voga. E a malta faz Amén ou méééééé, sei lá. A onomatopeia parece a mesma, e os seguidores também.

Somos coagidas a idolatrar mulheres famosas e lindas. Somos bombardeadas pelas revistas de beleza com as meninas maravilhosamente bem photoshopadas. Há uns tempos vi pelo Facebook um vídeo que mostrava a quantidade de publicidade e conteúdos realmente interessantes nessas revistas: mais de 80% era publicidade, é assustador.

Ficamos deprê (como se diz em linguagem trendy) porque para além de não termos dinheiro para sermos iguais, também não temos um amiguinho que domine um qualquer programa de manipulação de imagem.

A crescente sede de perfeição tem-se tornado algo digno de estudo cientifico: sejam cirurgias plásticas, cabelos, pestanas e unhas postiças. Maquilhagem que modela a tromba tapando ''imperfeições''. Sabiam que há técnicas de maquilhagem que afinam narizes, encolhem testas? Até mesmo uma coisa que por meio de vácuo incham as beiças? Isto soa tão estranho... Mas o Youtube é todo um mundo a ser explorado, e os Smartphones também, que há uns tempos descobri ao tirar uma fotografia que posso usar um filtro esquisito em que o resultado final deveria ser algo espetacular, mas sou só eu como uma pele super lisa e com uns olhos de boga execraveis!  Há também as calças que empinam o rabiosque, há os soutiens push up. E a lista deve continuar, mas como não compro revistas nem vejo o Fama Show não tenho assim taaaanto conhecimento sobre matéria.

Não quero dizer com isto que não me maquilho ou que não me preocupo com o meu aspeto. Eu gosto de me pintar em casa, onde posso fazer as avarias todas que quiser, mas depois se tiver que ir despejar o lixo desmaquilho-me. Aquela pessoínha que se pintou em casa não sou eu, é uma versão minha recauchutada e, a menos que vá a um evento ou festa que justifique, não me sinto minimamente confortavel em sair à rua naqueles preparos!

O importante no meio de tudo isto e o que deves reter desta tolice que acabei  aquí de escrever é que o principal é gostares de ti e aprenderes a fazê-lo no teu pior para que não te prendas ao melhor. Porque se formos a ver bem esse ''melhor'' não é assim tão teu. Liberta-te destes canônes de perfeição. Ela não existe, e as modelos numa qualquer campanha publicitária capaz de parar o trânsito também não.