Civismo no Ginásio

16389202_1984772615083795_250652109_o.jpg

Tal como em qualquer outro local em que nos vemos obrigados a "viver em comunidade" - e, se virmos bem, vivemos em comunidade em praticamente todos os sítios por onde passamos, desde o local de trabalho até ao nosso café do costume, passando pelo supermercado ou até mesmo a bomba de gasolina! -, o ginásio não dispensa (ou não devia dispensar) de algumas práticas básicas de bom senso. Contudo e infelizmente, estas práticas são, por vezes, assim tãoooo básicas que acabam por ser esquecidas! Com certeza que quem frequenta regularmente o ginásio já teve a sorte de ter ao seu lado o rei/rainha do karaoke lá da cidade ou a sorte de ficar tanto tempo à espera que libertem o equipamento que acaba por decidir deixar o exercício para a próxima sessão de treino ou ainda a sorte de ficar a conhecer pormenorizadamente os planos para o jantar de sexta-feira daquela rapariga que foi ao ginásio exercitar o telemóvel...

Não duvidando do bom senso destas pessoas (que podemos ser todos nós, um dia), e simplesmente assumindo que não lhes passou pela cabeça que poderiam estar a incomodar os restantes utentes, não custa relembrar alguns princípios de boa educação que irão, sem dúvida, tornar uma ida ao ginásio (e todo o "viver em comunidade" que lhe está implícito) muito mais agradável:

  • As toalhas brancas não são um acessório de moda

As toalhas que a maioria dos ginásios disponibilizam existem com um propósito! Não custa nada usá-las para evitar deixar manchas de suor por todo o lado, ajudando a contribuir para a higiene (de tudo e) de todos!

  • O tempo de uso dos equipamentos não é ilimitado

Principalmente em horas de frequência mais elevada, convém evitar ocupar um (ou mais) equipamento(s) por períodos de tempo muito extensos. Descansar sentado na prensa, por exemplo, não é propriamente uma boa ideia, nem o é ocupar 3 ou 4 aparelhos em simultâneo. Uma sugestão: se estivermos a fazer circuit training, porque não encontrar alguém que esteja a fazer algo semelhante para poder ir rodando e alternando connosco nas estações/aparelhos?

  • Arrumar aquilo que usamos não custa

Depois de terminar um exercício, não há dificuldade nenhuma em devolver os pesos, a corda de saltar ou o colchão que usámos ao seu "sítio de descanso". Evita-se, assim, uma desorganização nada agradável à vista de nenhum utente, reduz-se significativamente a probabilidade de tropeções e ainda se queimam mais umas quantas calorias.

  • Roubar é feio

Quando precisamos de equipamento, o mais sensato é ir buscá-lo diretamente ao seu "sitio de descanso", como eu lhe chamava há pouco. Usarmos o primeiro bosu que vemos à frente, sem perguntarmos se alguém está a fazer uso dele ou pegarmos nos pesos daquela rapariga que foi beber àgua e que os deixou ao lado de uma coluna não é nada agradável!

  • Selfie time!

Hoje em dia é mais do que normal fazê-lo, quer seja para publicar no Instagram, quer seja para manter um registo pessoal do nosso progresso físico. Mas é preciso ter em conta que há outras pessoas no ginásio que poderão não querer aparecer nas nossas fotografias (principalmente, se forem tiradas no balneário). Ah! E convém também não transformar o ginásio no set para uma (infinita) sessão fotográfica.

  • Ring Ring Ring

O ginásio não é propriamente o local mais adequado para atender telefonemas, principalmente, se forem conversas longas. E não seria também má ideia lembrarmo-nos de que, se falarmos excessivamente alto, todo o ginásio vai ficar a saber sobre aquele segredo que prometemos à nossa amiga que não íamos contar.

  • Karaoke time

Por muito que gostemos da nova música do Bruno Mars e por muito que nos apeteça cantá-la como se não houvesse amanhã, há outros utentes que poderão não partilhar desse gosto musical ou que, simplesmente, preferem ficar-se por aquilo que estão silenciosamente a ouvir nos seus headphones.

  • Conversa de café

Encontramos aquela amiga que já não vemos há imenso tempo e começámos a conversar... e a conversar, e a conversar, e a conversar.... e a conversar.... Talvez não fosse má ideia deslocarmo-nos para o bar do ginásio ou deixar a conversa para mais tarde (principalmente se estivermos a ocupar o meio daquele não tão grande corredor de passagem por onde as outras pessoas tentam atravessar, carregadas com pesados pesos e caneleiras).

  • Inspector Clouseau

Os biceps daquele homem podem ser irresistíveis, ou impressionante a força daquele bodybuilder, ou ainda invejáveis os abdominais daquela rapariga ... Mas não é educado nem agradável estar a observar alguém como se essa pessoa estivesse sob a mira do conhecido Inspector.

  • Cuidado com aquilo que é de todos!

(Por último), nunca nos podemos esquecer que o ginásio é de todos aqueles que lá andam e que, portanto, não custa cuidar dos seus equipamentos, aparelhos e instalações como se fossem nossos. Se todos fizerem isso, o material dura mais, ninguém se chateia (e há uma grande probabilidade de as mensalidades não subirem já que não vai haver necessidade de comprar ou arranjar coisas a toda a hora!).

Estas foram apenas algumas das mais básicas regras que eu considero que devemos seguir quando vamos ao ginásio. Obviamente que a lista não fica por aqui mas, se eu me pusesse aqui a elencar princípios atrás de princípios não teria tempo de ir ao ginásio aplicá-los! Hahah! Bons treinos!