Resoluções de Ano Novo

y7rgtfyozxc-giulia-bertelli.jpg

Se ainda se dão ao trabalho de as fazerem, eis a melhor forma de não as quebrarem!

  1. Menos é Mais

Em vez de escreverem um manifesto sobre tudo o que querem mudar este ano, porque não escolherem apenas cinco objectivos? Se os conseguirem completar antes do final do ano, podem sempre juntar novos objectivos.

  1. Objectivos específicos

Mais do que “querer ficar em forma” que é genérico, porque não especificar que se quer “perder três kilos” ou se quer “ir ao ginásio duas vezes por semana”? É mais fácil de controlar o progresso e pensar “nas recompensas”. Talvez três kilos não pareça muito, mas pode representar uma diferença entre apertar um par de calças ou ficar com um muffin top – falo de experiência.

Uma pequena observação: resoluções para fazer coisas novas costumam funcionar melhor do que resoluções para acabar com hábitos adquiridos. Por isso sejam positivas nos vossos objectivos!

  1. Ser realista

No ano passado, no Reading Challenge do Goodreads, eu disse que ia ler 100 livros num ano. 100 livros?! Eu nem pensei que isso representava uma média de quase dois livros por semana! Cheguei a meio do ano e ainda só tinha lido 25 livros e estava a começar a ler só por ler, sem ter qualquer prazer na minha leitura. Já nem tinha vontade de pegar em livros porque o estava a fazer por obrigação... Este ano optei por definir o objectivo para 30 livros...

  1. Aprender a falhar

Outra coisa que tenho aprender é a ser mais simpática comigo própria. Não é o fim do mundo não conseguir cumprir as resoluções de Ano Novo. É importante aprender a lidar com o fracasso nas várias áreas da vida. Já li (não me lembro ao certo onde), que por vezes temos de lidar com as nossas falhas como se fossem de outras pessoas: será que diríamos o que acabámos de pensar sobre nós mesmos, a outra pessoa? Ponham as coisas em perspectiva!